O Espírita

Divulgação da Doutrina Espirita

Novo despertar

Novo despertar


Surpreendido com semelhante luminosidade, senti-me chumbado ao solo. Quem a estaria irradiando a meu lado?
Cerrei os olhos novamente para agradecer a presença do benfeitor que, por certo, ali se encontrava junto de mim; no entanto, apesar de recolher-me à intimidade do próprio “eu”, via ainda os raios a se renovarem no meu íntimo.
Intrigado, refugiei-me de novo na prece, em silêncio, quando em meio da massa luminescente lobriguei o vulto de alguém que procurava evidenciar-se. Era Bittencourt Sampaio a estimular-me o coração para o bem. Não se revelava tão nítido quanto na noite inolvidável de nosso encontro no santuário, mas não tive qualquer dificuldade para reconhece-lo.
– “Jacob” – disse ele, depois de algumas palavras de encorajamento e saudação -, não te admires da claridade que te rodeia.
Ela pertence a ti mesmo. Nasce de tuas energias internas, orientadas agora para a Bondade Suprema.
A concentração de amor verdadeiro produz bendita claridade na alma.
A luz é substância divina gerada nas fontes superiores do Espírito Eterno.
Feliz de ti, que compreendeste sem tibieza a necessidade de alijar os próprios caprichos para que a Vontade do Senhor te favorecesse o santuário da consciência.
A mente que atira para fora de si o obscuro e pesado material dos interesses menos dignos prepara-se valorosamente para o celeste sinal da irradiação espontânea.
As preocupações indesejáveis passaram.
Principiaste a renunciar com sinceridade ao “homem velho” e a “criatura nova em Cristo” se vai formando em teu coração.
Bendita seja a tua esperança!
Não te esqueças de que o amor dá sempre, principalmente de si mesmo, de suas próprias forças e alegrias.
Por agora, os raios de tua boa-vontade brilharão nas horas culminantes da fé, pela concentração de poderes espirituais na prece; todavia, à medida que te recolhas no exercício legítimo do amor cristão, em demonstrações genuínas de entendimento do Evangelho sentido, vivido e aplicado, controlarás tua capacidade irradiante, segundo os ditames da própria alma!
Ama sem paixão, espera sem angústia, trabalha sem expectativa de recompensa, serve a todos sem perguntar, aprende as lições da vida sem revolta, humilha-te sem ruído ante os desígnios superiores, renuncia aos teus próprios desejos, sem lágrimas tempestuosas, e a vontade justa e compassiva do Pai iluminar-te-á constantemente o coração fraterno e o caminho redentor!
Ora, vigia, movimenta-te no esforço digno e seja feliz, meu amigo, “A tua luz crescerá com a dilatação de teu devotamento ao Bem Infinito”.
Que expressões terrenas poderiam dizer da sublime surpresa que me ofuscava o espírito? Não conseguiria responder.


Pelo Espírito Irmão Jacob
Do livro: Voltei
Médium: Francisco Cândido Xavier

Anúncios

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: